Centro Gráfico Ruy Barbosa Centro Gráfico Ruy Barbosa

86 Anos
67 3025 2000

Dicas

  • 4x0; 4x1; e 4x4; O que significa?

    A maioria dos materiais impressos, são feitos pelo processo de policromia até chegarem ao resultado final. POLI + CROMIA = Conjunto de várias cores.
    A escala CMYK é formada pela combinação das cores: Azul (Ciano), Vermelho (Magenta), Amarelo (Yellow) e Preto ( Black) que formam esse processo de policromia. Com essas cores combinadas, podemos ter muitas possibilidades para a execução de uma Impressão.
    4×0 = São 4 cores impressas na frente e nenhuma impressão no verso. 
    4×1 = São 4 cores impressas na frente e uma cor apenas no verso.
    4×4 = São 4 cores impressas na frente e verso. 

  • Sombras, Degradês e Efeitos?

    Para configurar corretamente estes Sombras, Degradês e efeitos, basta simplesmente separá-los. 
    Podem gerar problemas se não usados de forma correta, sempre convertas as sombras, degradês e efeitos em Bitmap, para que estes não causem erro de impressão. evite que filtros incorporados em sua criação, sejam causadores de erros inesperados no produto final.
  • Boneco

    O boneco (layout) - nada mais é que uma prova impressa de seu material, simulando aproximadamente como ela deve ficar em seu formato final.

    O boneco também é para evitar e corrigir erros, na paginação, colagens, dobras, etc, e simplificam o processo de produção. Não deixa também de ser a sua segurança. Anote qualquer observação que for necessária no seu impresso, tais como: cores especiais, montagens, picote, etc.
  • Dobras

    Ao montar um folder que possua dobras, é importante estar atento a magem de segurança dos textos, imagens e etc. Isso porque ao fazer uma dobra, se a sua magem de segurança (5mm) não existir, ao dobrar o seu folder, a dobra pode prejudicar textos, imagens e etc.

    Existem dois tipos de dobras: paralelas e perpendiculares ou cruzadas. Dobras paralelas são dobras que se encontram paralelas entre si. Dobras cruzadas são dobras que se encontram perpendiculares em relação à anterior.
  • Linhas finas

    Linhas com menos de 2 pontos de espessura podem acarretar variações que deixam estas variações muito mais evidentes do que uma linha com mais de 2 pontos.para que não ocorre este erro, é importante que estes elementos não sejam formados por mais de duas cores em sua composição. Ou se possível aumentados em um tamanho onde a composição de cores não cause problemas em seu documento.
  • configurando Cinza corretamente

    Cinza ou meio tom, é uma cor que se deve trabalhar com muito cuidado, por se uma cor intermediária entre branco e preto.
    Usando apenas a cor preta você garante que os tons de cinza em sua arte estarão corretamente configurados para impressão.
    Usando Cores alem do preto deixam seu material muito carregado deixando sua edição muito complexa.
  • usando preto de forma correta

    A cor preta é muito usada em projetos gráficos, ao mesmo tempo, o preto pode gerar muitos erros, pelo seu mau uso. O preto deve ser sempre usado de forma pura, ou seja, preto (K) 100%, isso para textos e imagens pequenas. Para grandes áreascomo fundos o preto pode ser composto pelo Ciano (C) 30% + o Preto (K) 100%, para esse damos o nome de preto calçado.
  • Arquivos PDF Seguro

    Gerando um arquivo PDF que atenda plenamente ás necessidade da prestadora de serviço(Gráfica), a confiabilidade é maior pois o arquivo  é gerado usando configurações especificas para gráfica.

    O padrão PDF/X-1a na verdade um conjunto de regras e especificações de geração de PDFs, o  que permite o seu uso por todos os sistemas de fluxo de trabalho gráfico que suportam o PDF, independente do aplicativo e da plataforma em que os documentos foram criados.
    ARQUIVO PDF/X-1a - Arquivos PDF/X-1a:2001 são arquivos do tipo Adobe PDF (Portable Document File) com características restritas, adequadas ao uso gráfico profissional. Esses arquivos podem ser gerado de duas maneiras: a) Convertidos a partir de um arquivo fechado do tipo PostScript, nomalmente com uso da ferramenta Acrobat Distiller; b) Exportados diretamente a partir das versões mais recentes dos aplicativos profissionais de paginação. Arquivos PDF convertidos são mais seguros e menos propensos a problemas de pré-impressão. No entanto, PDFs exportados por aplicativos confiáveis, como o Adobe InDesign e o QuarkXpress, também atendem aos requisitos X-1a:2001, e são aceitos pela Editora Globo.
  • Dimensões

    Ao definir dimensão do documento,utilizar um formato normatizado (ISO 216), pois diminui os custos da produção e o desperdício do papel.
  • Bitmap X Vetores

    Bitmap - uma imagem subdividida em pontos coloridos (pixels). Permite a visualização de fotos usadas em programas de edição de imagens, como Photoshop.
    Desenhos Vetoriais - A descrição geométrica de uma figura por meio de coordenadas de pontos e curvas (vetores). Freehand, Ilustrator e CorelDraw são programas vetoriais.
  • Fontes

    As fontes que vc vai colocar em seu documento é de seu gosto, mas apos o termino da arte, transforme todos os textos em curvas, para que não haja problemas com a conclusão do mesmo.
    Textos pequenos com preenchimentos com cores que apresentam misturas em sua composição, poderão perder a definição. Nunca utilize preto 4 cores (C:100 M:100 Y:100 K:100) para texto, independente do tamanho, pois poderá apresentar pequenas variações de registro não caracterizando erro de impressão.
    Textos com cores claras ou vazados sobre fundo escuro deverão ter o corpo Negrito, tamanho mínimo  a 7 (sete) pontos, e sem serifa, pois traços finos perderão definição.
  • Sangra

    Sangria é uma área de segurança que pode variar entre 3mm a 5mm, cuja finalidade é evitar que uma peça gráfica fique com filetes brancos ao efetuar o corte final. É claro que, além da sangria, você deve fornecer o arquivo fechado já com as marcas de corte e barra de cores. Outro ponto que se deve considerar é a margem de segurança do corte para as informações da peça gráfica. Normalmente utilizamos 5mm de margem no mínimo, para dentro da linha de corte (textos, numeração de páginas, etc). Isto evitará que qualquer dado importante da sua arte não seja cortado.

  • RGB?, CMYK? ou Pantone?

    RGB – 3 cores Red (vermelho), Green (verde) e Blue (azul). são cores geradas pela luz. Também conhecida como cores aditivas. A intensidade máxima das três cores forma o branco, a ausência das 3 cores forma o preto. Usado pelos monitores de vídeo, televisores, vídeo-projetores etc.

    CMYK - Sigla de ciano, magenta, amarelo e preto são cores obtidas através de substratos (cores substrativas), ou seja, cores obtidas através de pigmentos. Através dessas 4 cores se consegue formar as demais. O padrão CMYK é usado nas: impressoras convencionais, nas gráficas…
    Podemos perceber que o espaço de cor CMYK é bem limitado em relação ao do RGB, que já é limitado em relação ao espectro visível, ou seja: o olho humano é capaz de enxergar mais cores do que um monitor consegue mostrar e, um monitor é capaz de mostrar mais cores do podem ser impressas. Isso pode ser um problema, caso queira imprimir algo que utilize uma cor que esteja fora dos limites da gama CMYK. Para tentar resolver isso, apareceu o PANTONE, que, em resumo,  nada mais é do que uma escala de cores especiais. Cada cor corresponde a um cor de pigmento que pode ser acrescentado ao CMYK. Também conhecido como 5ª cor, 6ª cor, e aí vai…


    Fonte: casadepapel.com.br/?p=783

    PANTONE:
    O Pantone, ao contrário do que muitos pensam, na verdade é uma empresa e não marca de tinta. Fundada em 1962 em New Jersey, Estados Unidos, a Pantone Inc. é famosa pela “Escala de Cores Pantone” (“Pantone Matching System” ou PMS), um sistema de cor utilizado em uma variedade de indústrias especialmente a indústria gráfica, além de ocasionalmente na indústria têxtil, de tintas e plásticos.
    Enquanto o processo CMYK é o método padrão para impressão da maioria dos materiais do mundo, o sistema Pantone é baseado em uma mistura específica de pigmentos para se criar novas cores. O sistema Pantone também permite que cores especiais sejam impressas, tais como as cores metálicas e fluorescentes.
    Mas por que a Pantone tornou-se sinônimo de cor? Simples, há mais de quarenta anos a indústria americana de tintas Pantone desenvolveu um sistema numérico de cores de tintas e conseguiu manter uma alta regularidade e padrão na produção destas. Assim, sem nomes regionais ou de aplicação restrita, tornou-se muito mais confiável falar-se em números, que, não são ou estão sujeitos a subjetividade humana do que em nomes, os quais variam e denominam diferentes coisas de lugar para lugar.
    Enquanto que a maior parte das cores do sistema Pantone esteja além da gama de cores reproduzíveis pelo CMYK, as que podem ser simuladas pelo sistema de quatro cores (CMYK) são marcadas como tais nas guias da empresa.
    São basicamente dois os tipos de produtos desenvolvidos pela empresa, sem contarmos os softwares e equipamentos: os leques ou escalas e as amostras destacáveis. Os leques/escalas são guias de referência rápida que trazem o número da cor e como obtê-la através do método de impressão CMYK, tendo como grande diferencial sua portabilidade e fácil manuseio. Já as amostras destacáveis são derivadas destas escalas e tem por objetivo a comunicação precisa e inequívoca da cor bem como a montagem da identificação visual da empresa/cliente. Um exemplo simples: existe a escala PANTONE COLOR CUE 2 que contém – 1) cores sólidas com brilho (solid coated), 2) coares sólidas sem brilho (solid uncoated), 3) cores sólidas semi-brilho (solid uncoated). A partir dai, dependendo do papel que seu trabalho irá ser rodado, você escolhe a paleta e uma cor específica. Exemplo: o trabalho irá ser rodado no papel couché fosco (sem brilho nenhum), não importando a gramatura. Então, irei escolher a paleta SOLID UNCOATED, que é especificamente para papéis não-revestidos, sem a camada de adesivo e pigmentos inorgânicos que lhe confere um brilho mais ou menos intenso. Lembrando que existem vários tipos de papeis.
    É importante lembrar que estes produtos, além de serem guias práticos para formulação e obtenção de cores também são utilizados, na grande maioria das vezes, como referência em áreas anexas e correlatas a outras que a utilização de forma direta. Uma vez de posse da escala e do número que seu cliente especifica, o fornecedor pode identificar corretamente a cor desejada e desenvolver mecanismos para obtê-la. No meio gráfico, isso pode ser representado por uma faixa de porcentagem de 99%.
    Entretanto, muitas vezes o processo ocorre de forma equivocada e inversa, onde o usuário desenvolve seu trabalho no computador e lá escolhe a cor desejada, sem levar em conta que, o que está sendo visualizado são luzes cuja gama de possibilidade é infinitamente maior do que as possibilidades de impressão gráfica.
    Muitas vezes, com seus monitores e impressoras descalibrados, ao apresentar e vender sua idéia ao cliente mostrando-a no monitor ou impressa através destas impressoras, estes profissionais irão se deparar com um resultado nada agradável, pois irão se utilizar da numeração Pantone obtida no software usado, da referência do monitor ou impressora descalibrados, e de gráficas que muitas vezes não utilizam tintas de qualidade para imprimir seus trabalhos. O final da história: insatisfação geral – trabalhos devolvidos, prejuízos para todos e adjetivos ou qualificações desfavoráveis.
    Para uma correta utilização dos produtos Pantone, tanto criadores, gráficos, designers, engenheiros de produtos e outros, devem primeiramente escolher a cor que desejam em suas escalas atualizadas. Uma vez escolhida, a cor deve ser aplicada e tratada independente do resultado visualizado na tela ou na impressora de “escritório”. Ao se mandar o trabalho para o fotolito ou diretamente para a gráfica, informe a cor utilizada ou os valores CMYK que deseja obter como resultado. Se fossem feito isso, 70% dos trabalhos não sairiam errado!
    Um exemplo da necessidade da utilização de um pantone seria para obter aquele verde limão que você vê no monitor.
    Se você ainda estiver se perguntando “E aí, que modo devo usar?… Leia o texto novamente.

    FONTE: http://design.blog.br/design-grafico/o-que-e-pantone, e editado por Dell e Sebastião, para melhorar sua vida!!!(Partes)